Category Archives: Crer é também pensar

Insights | A OSTENTAÇÃO QUE NÃO SE SUSTENTA

ostentação2

“Quando a educação não é libertadora, o sonho do oprimido é ser opressor” (Paulo Freire)

Não bastasse vivermos num sistema onde o consumo é exageradamente incentivado, o que gera hábitos cada vez mais insustentáveis, agora vejo, de forma ainda mais explícita, a síndrome da ostentação, sendo divulgada e disseminada por todos os meios.

Não consigo ver pelo menos um benefício que justifique qualquer tipo de ostentação, seja ela econômica, social, moral, intelectual, racial e até espiritual.

O resultado de uma sociedade baseada nesse tipo de filosofia é dentre outras coisas, o culto ao individualismo, injustiças sociais, violência, frustração e depressão.

Nessa onda, uma pequena margem da população quem tem condições mostra o que tem, enquanto a grande maioria, gasta o dinheiro que não tem, para comprar coisas que não precisam, e para impressionar pessoas que nem sequer gostam.

Isso tudo gera um mundo insustentável em todos os sentidos. Insustentável economicamente, socialmente, e emocionalmente. Se não, tente imaginar como vive os fãs da onda da ostentação? Como se sentem quando não podem comprar um tênis que custa o mesmo que seu pai ganha de salário no mês? O que eles irão fazer para terem o passaporte (a grife) que lhes confere o status para fazer parte da onda de sua geração? Quantas pessoas se frustram por não terem o objeto de desejo da sua realização.

Dentro de toda essa percepção, que tipo de valor um indivíduo tem diante dos outros e de si mesmo? Será que seu valor está no tênis, na camisa, no óculos, no carro, na moto ou na casa que possui? Repito, é tudo uma ilusão insustentável pautar o valor no ter e não no ser.

Jesus Cristo disse que “…a vida de um homem não consiste na quantidade dos bens que possui”. Lucas 12:15

“Os donos do capital incentivarão a classe trabalhadora a adquirir, cada vez mais, bens caros, casas e tecnologia, impulsionando-a cada vez mais ao caro endividamento, até que sua dívida se torne insuportável.” (Karl Marx, em 1867)

Para concluir, sugiro que fujamos da tentativa de se esquivar dessa admoestação, porque essa síndrome da ostentação não é exclusividade só da turma do funk. Ela independe de gênero, número e grau, pois todos temos que nos policiar quanto a forma como tratamos o dinheiro, para que ele não seja nosso senhor, nem sejamos seus escravos.

“Melhor é o pouco com o temor do Senhor, do que um grande tesouro onde há inquietação.” Provérbios 15.16

“Manda aos ricos deste mundo que não sejam altivos, nem ponham a esperança na incerteza das riquezas, mas em Deus, que abundantemente nos dá todas as coisas para delas gozarmos; Que façam bem, enriqueçam em boas obras, repartam de boa mente, e sejam comunicáveis; Que entesourem para si mesmos um bom fundamento para o futuro, para que possam se apoderar da vida eterna.” 1 Timóteo 6:17-19

Deus continue iluminando nossa mente.

{dp}

#OstentaçãoInsustentável
#VivaComContentamento
#NãoSejaEscravo
#InsightsDoReino

logo2

A Ciência & A Bíblia

Um senhor de 70 anos viajava de trem, tendo ao seu lado um jovem universitário, que lia o seu livro de ciências . O senhor, por sua vez, lia um livro de capa preta. Foi quando o jovem percebeu que se tratava da Bíblia e estava aberta no evangelho de Marcos.

Sem muita cerimônia o jovem interrompeu a leitura do velho e perguntou:
O senhor ainda acredita neste livro cheio de fábulas e crendices?
Sim, mas não é um livro de crendices. É a Palavra de Deus. Estou errado?

Respondeu o jovem:
– Mas é claro que está! Creio que o senhor deveria estudar a História Universal. Veria que a Revolução Francesa, ocorrida há mais de 100 anos, mostrou a miopia da religião. Somente pessoas sem cultura ainda crêem que Deus tenha criado o mundo em seis dias. O senhor deveria conhecer um pouco mais sobre o que os nossos cientistas pensam e dizem sobre tudo isso.

– É mesmo? Disse o senhor.
E o que pensam e dizem os nossos cientistas sobre a Bíblia?
– Bem, respondeu o universitário, como vou descer na próxima estação, falta-me tempo agora, mas deixe o seu cartão que lhe enviarei o material pelo correio com a máxima urgência.
O velho então cuidadosamente abriu o bolso interno do paletó e deu o seu cartão ao universitário. Quando o jovem leu o que estava escrito, saiu cabisbaixo sentindo-se
pior que uma ameba.

No cartão estava escrito: Professor Doutor Louis Pasteur, Diretor Geral do Instituto de Pesquisas Científicas da Universidade Nacional da França.
“Um pouco de ciência nos afasta de Deus. Muita, nos aproxima”.
Fato verídico ocorrido em 1892, integrante da biografia de Louis Pasteur.

Deus em Questão ! Sigmund Frued x C.S.Lewis

Deus em Questão – Sigmund Frued x C.S.Lewis Documentário [1-4]


Deus em Questão – Sigmund Frued x C.S.Lewis Documentário [2-4]

 

Deus em Questão – Sigmund Frued x C.S.Lewis Documentário [3-4]

 

Deus em Questão – Sigmund Frued x C.S.Lewis Documentário [4-4]

C S Lewis – Do ateísmo ao teísmo

Crer é também pensar | Consideração a despeito da Teologia Humanista

A nova teologia
Autor: Gene K. Smith

O Humanismo

O conceito secular moderno (humanista) da verdade é relativo, isto é, não existem absolutos! O homem está no centro de todas as coisas e é a medida de todas as coisas. Entretanto, a pessoa mediana, ou o cristão mediano, não percebe que essa conclusão está baseada na pressuposição e na crença filosófica que não existe um Deus infinito e pessoal e que o homem pode determinar a verdade dentro de si mesmo. Essa é a visão filosófica grega-alexandrina de 2.000 anos, produzida gradualmente pela infusão do humanismo secular em todo o tecido da nossa sociedade ao longo dos últimos oito séculos. O humanismo secular é simplesmente o produto do gnosticismo/platonismo pagão grego, que vê a mente do homem como o centro da realidade, em vez de Deus, ou o mundo criado (o universo) em que o homem habita.

O problema é que os gnósticos e os humanistas não podem saber o que é a realidade ou a verdade, porque o homem não tem como determinar a verdade. Somente Deus conhece o que é a verdade (João 17:17). A visão cristã da realidade é que Deus criou o homem à sua imagem com cinco sentidos que percebem o mundo real como ele realmente é porque Deus não engana (Números 23:19; 19:1; 1 Samuel 15:29; Tito 1:2; Hebreus 6:18; 1 João 2:21). O humanista ateísta ou agnóstico fica sem ter como saber o que seus cinco sentidos lhe dizem sobre a realidade do mundo em que ele habita. O positivismo é uma filosofia morta. Não há como o humanista poder explicar o amor, a beleza, ou a música, ou atribuir qualquer significado à vida ou à experiência. O homem é somente uma máquina biológica. Isso é o que leva ao desespero do humanismo e de todas as suas derivações (drogas, suicídio, hedonismo, etc.).

O cristão precisa compreender a cosmovisão humanista pela qual Satanás engana o mundo e como essa cosmovisão difere da visão de Deus. (Efésios 2:2) Satanás sabe que para apresentar seu plano ao mundo, precisa cativar a mente humana e influenciar aquilo que o homem acredita ser verdade. A Bíblia ensina que aquilo que pensamos determina aquilo que somos. (Provérbios 23:7; 27:19) Como encaramos a vida (nossa cosmovisão) determina como vivemos nossa vida. Como o homem encara a verdade também determina como ele vive e como interpreta a Bíblia. Se controlar o conceito de verdade de uma pessoa, você controla essa pessoa!

A teologia moderna não fornece respostas para o problema espiritual da separação do homem de Deus. Ela lida somente com as experiências sociais e políticas (existenciais), não com as questões espirituais e eternas. Os teólogos modernos não podem falar sobre questões espirituais universais “do andar de cima” porque não existe racionalidade ou categorias para elas na área dos [pressupostos] “universais” ou “eternos”. Assim sendo, eles não ensinam os cristãos a como serem cheios do Espírito Santo, como lidarem com os demônios, ou como lidarem com a velha natureza pecaminosa.

A teologia moderna não vê diferença entre a igreja e o mundo, ao contrário do que diz João 15:15; 15:18-19; 1 João 2:15. A ênfase está em particularidades (“o andar de baixo”) – a prática de atos religiosos, por exemplo, o evangelho social, “seguir a Jesus”, psicologia popular, etc., que fornecem experiências existenciais que dão algum tipo de significado à vida (mas que não podem ser discutidas). Os cristãos precisam compreender a diferença. Não há ênfase na salvação pessoal ou em um relacionamento pessoal com Deus, pois isso é irrelevante. A Nova Teologia não nega ativamente as verdades do cristianismo ortodoxo ou conservador, como o nascimento virginal, a divindade de Cristo, a veracidade da Bíblia, o pecado, a existência do inferno, etc. Em vez disso, ela simplesmente coloca essas questões no “andar de cima” bifurcado, onde elas não podem ser discutidas ou definidas racionalmente.

Os humanistas modernos e os aderentes da Nova Era vêem a verdade como algo que não pode ser definido em palavras, mas que pode ser somente experimentado na mente e nas emoções. Isso segue o neo-platonismo e o ocultismo com sua tese da superioridade das emoções e da intuição em oposição à razão e à lógica. Portanto, a Nova Teologia enfatiza mais a adoração pública do que a doutrina bíblica. Essa atitude também é demonstrada em muitos círculos cristãos hoje na interpretação da Bíblia.
Satanás tem procurado influenciar os cristãos desde o início da igreja. A técnica básica dele é o engano, que somente pode ser bem sucedido se não conhecermos a verdade. O homem não pode determinar a verdade por si mesmo. O único modo de o homem saber o que é verdade é Deus dizer a ele o que é a verdade em termos proposicionais! (Essa é a única epistemologia razoável – veja A Morte da Razão e O Deus Que Se Revela na bibliografia.) Portanto, a única fonte confiável de verdade é a Palavra de Deus. (João 1:17; 17:17) Crescemos em uma cultura humanista e somos moldados por esse ponto de vista. O modo como interpretamos a Bíblia determina o que percebemos que Deus está dizendo. Isso também é uma escolha! Podemos compreender as palavras como verdade proposicional em seu contexto gramático, cultural e histórico divinamente revelado ao homem, ou podemos torná-las vazias de qualquer conteúdo doutrinário ou alegorizá-las para que signifiquem qualquer coisa que quisermos que elas signifiquem. A Bíblia deve determinar nossa visão do mundo em vez de o mundo determinar nossa visão da Bíblia.
Lembre-se das palavras de Paulo em 2 Coríntios 11:13-15:
“Porque tais falsos apóstolos são obreiros fraudulentos, transfigurando-se em apóstolos de Cristo. E não é maravilha, porque o próprio Satanás se transfigura em anjo de luz. Não é muito, pois, que os seus ministros se transfigurem em ministros da justiça; o fim dos quais será conforme as suas obras.”

Hoje, o mantra humanista universal é: “Acredite em si mesmo.” A cosmovisão humanista é centrada no próprio homem, não em Deus. A Nova Teologia é derivada do humanismo. A visão dela do evangelho e do cristianismo é centrada no homem, não em Deus. A salvação da humanidade está baseada nos esforços do próprio homem. Isso leva a auto-adoração, o que prepara o mundo para a adoração a Satanás. O adoradores de si mesmos poderão então ser facilmente levados à adoração a Lúcifer, o “iluminador”. Infelizmente, muitos cristãos estão muito presos no sistema mundano e em seu ponto de vista, o que afeta o conceito deles da verdade e como eles interpretam a realidade e as Escrituras.

A decisão mais importante que toda pessoa faz é colocar Deus no centro, ou então ser centrada em si mesma. Isso determinará se a pessoa quer ter um relacionamento pessoal com o Deus Pessoal e Infinito, ou não. De um modo geral, as igrejas e as escolas cristãs falharam em ensinar os cristãos como viver a vida cristã e a adequadamente preparar os jovens cristãos a compreenderem a diferença de ponto de vista de modo a lidar com um mundo humanista “pós-cristão”. Elas falharam em advertir os cristãos sobre o humanismo e a neo-ortodoxia e suas ideologias, de modo que os cristãos são enganados facilmente. Os pastores neo-ortodoxos podem facilmente insinuar-se para uma igreja evangélica sem que o humanismo que existe em sua ideologia seja reconhecido. Os cristãos deixam de reconhecer que Satanás é bem sucedido em conseguir usar a igreja para seus próprios propósitos e enganações.A maioria dos cristãos realmente não quer falar sobre as questões ‘negativas’ ou sobre Satanás. A maioria prefere acreditar na visão modernista pós-milenista que o mundo está se tornando cada vez melhor até que todo o mundo se converterá ao cristianismo. O homem, por seus próprios esforços, eliminará o mal, a pobreza, as guerras, etc. e dará início ao Reino, após o que Cristo retornará.

Entretanto, houve mais guerras, sofrimentos e perseguições no século XX do que no século XIX, de modo que não é possível defender racionalmente o pós-milenismo. Mas a Palavra imutável de Deus apresenta um cenário diferente.

Por que Deus existe?

Crer é também pensar!
Deus existe mesmo?
Quantas vezes parou pra tentar responder essa pergunta pra si mesmo ou para alguém que o questionou?

Ignorar as perguntas ou tentar responder com base em emoções e experiências sobrenaturais talvez não seja o melhor caminho.

Ao contrário do que alguns dizem, é possível sim, argumentar sobre a existência de Deus com fundamentos lógicos, históricos e científicos.

Vale a pena confirir alguns ARGUMENTOS TEÍSTAS.

Parte 1

Parte 2

Parte 3

Parte 4

Parte 5

Parte 6

Crer é Também Pensar | Tem que ser de palitó???

De vez em quando me deparo com alguns absurdos do mundo evangeliquês e disponibilizo aqui para reflexão.
Essa música tem o título de TEM QUE SER DE PALITÓ IRMÀO!
É baseado num entendimento de que o palitó é essencial para se exercer uma boa expiritualidade.

Confere ai.

E você o que acha???

%d bloggers like this: